17 outubro 2007


Subitamente o tempo passou.
Agora, muito mais crescido, sem fralda, separados por muitas fronteiras, montanhas, lagos e rios, reconheço ainda o menino que tive nos braços.

2 comentários:

alentejana disse...

só assim se vê, o quanto envelhecemos, foi"ontem" que deixou as fraldas e o seu precioso óó, aquela fralda que usava na boca... enfim... foi "ontem"!!!hoje está um "homem" com apenas 6 anos.
e sim já fala alemão, melhor que eu e que o pai,aliás até já escreve...
bjos

algevo disse...

É num instante não é?

Acho que passa até depressa demais o tempo em que eles crescem sem parar. Em todos os sentidos.

Beijos Amiga.

I.