18 abril 2007

Lágrimas


Chuva. Chuva. Hoje chove num dia sem sol. O céu escondido por trás das nuvens cinzentas. Quase negras. Hoje não me aqueço ao sol. No teu sol. No meu sol. Em nenhum sol. Hoje estou assim, só. Com lágrimas corridas de um céu vazio de azul e cheio de negro.
Hoje também estou sem ti.
27.02.2007

2 comentários:

JotaCê Carranca disse...

Existe sempre um sol. Quer dizer, eu acho que há sempre.
Cá vou passando
bjs

algevo disse...

Existe sim. Mesmo quando nos obrigamos a olhar noutro sentido. Mas ele está sempre lá, mesmo que escondido, à espera que voltemos o rosto na sua direcçãoi e que o queiramos realmente receber.


Folgo em te saber ainda passante por aqui....


Beijo e beijos.

I.