11 maio 2007

És sonho. Foste sonho. Já foste um sonho na minha vida. Já não o és. Afinal já não o és. Tantos nãos, tantas palavras em sentido contrário, fizeste esticar a corda tantas vezes que agora ela, embora não esteja partida, ficou frouxa…, e eu não gosto de coisas assim, largas, gosto de coisas que me envolvem e me apertam. Já não és tu. Digo eu. Tu perdeste-te num caminho tortuoso, que achavas tu, te iria levar a uma riqueza que não é a interior. Agora os teus beijos já não me fazem queimar o coração. O teu toque já não me faz arder a pele. Já não deixo de dormir a pensar em ti. Já não fico sem conseguir fechar os olhos sem que a tua imagem me ocorra constantemente nas pálpebras invertidas. Já não és o dono dos meus beijos, do meu coração, do meu anseio, dos meus suspiros e acima de tudo dos meus braços. Arranjei-te substitutos à altura. E agora já não tenho lugar para ti na minha vida. Ainda aí estás? Aguardas mais o quê? Esperas a altura em que voltarei a ficar só? Com as saudades a invadir-me o corpo e a alma e me encha de saudades tuas, do tempo+o em que só existíamos nós e o mar? Esse tempo acabou. Já sofri afogada nesse mar vezes demais. As vezes que me deixaste e em que eu me deixei ficar escondida no passado e na vida que não era a nossa.

Agora só importa as estórias de Amor que eu posso construir daqui para a frente. O que aconteceu antes foram preparações para a Vida. Não devemos nada a ninguém. Vamos ser apenas felizes. Deixas-me?

7.05.2007





4 comentários:

JotaCê Carranca disse...

Todos os caminhos são caminhos de destino. Uns são mais directos, outros mais indirectos, uns mais floridos, outros mais cinzentos. Mas todos os caminhos levam-nos à libertação das gaiolas onde teimosamente temos o instinto de nos meter

algevo disse...

Querido Jota,

parece que falaste com o meu coração e a té diria mais, com a minha língua!!!

Mas o destino é fazermo-nos a esses caminhos e segui-los.

E as gaiolas?

Beijos

I.

Teresa disse...

É triste, o texto... Mas ao mesmo tempo transmite uma mensagem de esperança: aquilo que, por vezes, nos parece ser o fim do mundo, depois passa e acaba por ser apenas mais uma página da nossa vida que se fechou. E muitas vezes, ainda bem que se fechou!
Beijos repletos de xodadinhas

algevo disse...

Teresinha, minha querida e doce menina... será sempre tão mais sonhadora do que parece na realidade.... a vida é cheia de páginas voltadas na necessidade de lermos um livro que não passa da nossa vida.

Beijos gigantes, prometo ir pôr a conversa em breve!

I.