15 janeiro 2007


A vingança fria a que me submeteste. A vingança dolorosa de me fazeres passar exactamente pela mesma ordem, medida e tamanho à solidão, abandono e traição a que te submeti transformou-me o coração num bloco de gelo que me faz obrigatoriamente flutuar de pernas para o ar numa corrente marítima gelada, arrefecendo-me o coração tropical até eu não ser diferente daquilo em que me alterei. Não me abandonas. Não me deixas. Mas não voltas. E eu não te deixo. Não te abandono. E não me respeito. E não gosto de mim.

01.01.2007

4 comentários:

joão marinheiro disse...

Gostas...Gostas...Gostas...

algevo disse...

querido joão, nem todos os dias o sol brilha....

beijo daqui de onde o rio se junta com o oceano.

I

kika disse...

Ama-te!

algevo disse...

kika,

linda linda....

I.