24 julho 2006


Olhando para trás, para tantos momentos felizes nas nossas memórias, fico a olhar para as recordações e a tentar chegar a uma explicação para que eu deixe o medo também para trás, e me deixe mergulhar em todas as coisas boas que as recordações me podem trazer.
Sabes que a minha vida voava a cada beijo teu?
Sabes que a minha vida estremecia a cada abraço teu?
Sabes que cada abraço teu me fazia parar no tempo, na vida e na respiração?
Todos os gestos imperfeitos que tinhas eram adornados de um perfume das noites e dos dias que o tempo acabaria por trazer ao teu lado…
Em todas as vezes que me deixaste sonhar por completo, julgando que tinha uma rede lá em baixo…que me iria amparar na queda, que inevitavelmente acabaria por dar, todas as vezes fui dona de um céu maravilhoso, azul de céu, verde de mar, e branco de núvens… apenas grávido de estrelas e de luas cheias de magias.
Sabes que a minha vida terminou no dia em que deixei de estremecer, apenas por medo?
Sabes que deixei de parar no tempo, na vida e na respiração apenas porque me mostraste que a rede não existia?

20.07.2006

6 comentários:

Anónimo disse...

Que falta de originalidade, dar a um blogue o título de um livro conhecido, de João de Mancelos.

algevo disse...

E quem disse que as homenagens não se fazem também assim?
E nalgum sitio leu a afirmação que o nome era original?
Falta de originalidade será mesmo é fazer comentários sob a capa do anonimato...se essa é a melhor forma de comentar...acho que não sou merecedora de críticas.
Cumprimentos ao desconhecido.

aida disse...

quem não tem nada que fazer, a coisa que mais gosta é criticar os outros que ocupam o seu tempo oferecendo o seu melhor, pena que quem critica negativamente não se "mostra", ou será que tem vergonha ou medo de ser reconhecido?
beijinhos á minha grande amiga e já sabes que tens que me aturar daqui a uns diazitos....

algevo disse...

Obrigada Amiga Aida, mas como se diz, vozes de burro não chegam ao céu...e para alguém especial, que ainda não nos visitou aqui neste lugar muito nosso, este nome, as fadas não usam batôn, titulo de um dos livros conhecidos - mas não o mais conhecido, nem tão pouco o melhor... - de João Mancelos, para mim e para essa pessoa, que está na minha vida depois de tantos anos de amor, este título ou melhor, a conjugação destas palavras, têm um significado muito especial e demasiado grande para que os anônimos possam entender... beijos grandes... e desculpa a ausência... voltarei em breve.

kika disse...

Querida, és a maior! Força neste teu projecto e não ligues a quem não tem mais que fazer... Falar (mal) é facil...
Um grande beijinho de Darmstadt :P

PS - o teu blog é internacional, prima!!!

algevo disse...

Obrigada meus queridos / as amigos/as, como se costuma dizer vozes de burro não chegam ao céu... e para quem este título de João de Mancelos, é importante, cm é para mim, saberá a que me refiro...e não precisarei de dar explicações.
As fadas sabem quem são...

P.S. - Kika...obrigada...