10 dezembro 2006


Aprendi a beber. Aprendi a apreciar um copo de vinho tinto. E quando o estou a saborear, quando a conversa vai fluindo à minha volta, pois nunca bebo só, para não me aumentar a solidão, desço o meu olhar e mergulho-o nos milhares de gotas escuras no fundo do meu copo. E sonho-te, em silêncio, ao som do mar que oiço no meu pensamento constantemente, que os teus olhos se vão submergir em mim quando me alcançares com a vista pela primeira vez. E a partilha vai ser tal, que vais perder o chão onde andas, pelas pernas que te tremem e vais ficar sem fôlego, sem o ar com o qual respiras, vais ficar com o estômago enrolado porque percebes que não viveste até ali. E a partilha será tanta e de tal forma prazenteira que as regras de prudência serão deitadas fora, e vamos entrar numa clandestinidade que de tão intima só poderá ser nossa. Aí nesse recanto, onde só as nossas narinas se reconhecerão pelo cheiro, ambos nos entregaremos sem palavras e em gestos de doação. Momentos perfeitos.

2.12.2006

6 comentários:

joão marinheiro disse...

Adoro a tua escrita. Pronto!

algevo disse...

João... não querendo, porque não gosto de falsas modéstias..., assim fazes-me corar. :-)... mesmo.

Obrigado, obrigado.

Continuarei a tentar sempre melhor, nem que seja para te agradar...

Beijo daqui de onde o rio se junta com o oceano...

I

Morgaine disse...

E nestes momentos perfeitos é que se aperceberão que afinal até souberam viver...

(Em boa hora o João me recomendou o teu espaço. Escreves lindamente, tal como ele)
bjs

kika disse...

Apoiado! Beijos mil, adoro-te, adoro ler os teus textos. Mil, e mil, e mais mil beijos (já chega??) carregados de saudades. Faltam 6 dias!

algevo disse...

Morgaine,

Obrigada. Mas mesmo obrigado. Acima de tudo porque não percebo, porque me acho tão normal. Apenas escrevo o que sinto. O que vai aqui dentro. Só.

Obrigada.

É engraçado espaços que visitei tão frequentemente agora visitarem-me a mim...e gostarem. A sério que acho engraçado. Volta sempre.

Beijo.

I.

algevo disse...

Kika:

Minha doce e linda menina, espero que os poucos dias que já faltam passem depressa e que desta vez tenhamos mais tempo para estarmos juntas, e, aproveitando a minha situação profissional de dona de casa... vamos tomar o pequeno almoço juntas e vamos passear à Figueirinha? Assim ficas com os finais de tarde e os serões para os trabalhadores (quer dizer, para aqueles que ganham ordenado - que cá a gaja farta-se de trabalhar...)

Beijo linda.

Agora é só mimos com a mana aí...

I.